quinta-feira, 2 de abril de 2009

PROGRAMA TRILHA

O Programa Trilha vai beneficiar 71.400 jovens da capital e em mais 107 municípios baianos até 2010. Desse contingente espera-se que 60% seja inserido no mercado de trabalho. Lançado pelo Governo do Estado, no dia 21 de outubro de 2008, o programa terá recursos de R$ 171 milhões. “O Trilha vai organizar e potencializar as iniciativas já existentes e criar novas oportunidades para a juventude”, disse o governador Jaques Wagner.

O lançamento do programa lotou o anfiteatro da Escola Parque (Pau Miúdo). Estiveram presentes várias autoridades, e alunos que participam de programas patrocinados pelo Projovem, do governo federal. O Trilha é o maior e mais ousado programa estadual de juventude do país. “Esta trilha passa necessariamente pela educação, pela elevação da escolaridade, pela qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho”, declarou o secretário de Educação, Adeum Saeur.

A Secretaria de Educação vai coordenar o comitê gestor do programa, formado ainda, pelas secretarias do Trabalho, Emprego, Renda e Esporte (Setre), de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri), das Relações Institucionais (Serin) e do Planejamento (Seplan).

Na Bahia existem 424 mil jovens sem emprego e ocupação. Com o programa, serão beneficiados jovens que vivem na zona rural ou urbana, com idade entre 16 e 29 anos, desempregados e pertencentes a famílias que estão cadastradas no Bolsa Família. Luís Tiago, de 24 anos, se enquadra neste perfil. Morador do bairro Fazenda Coutos, nunca trabalhou com carteira assinada e vê nessa nova política social do Governo do Estado uma perspectiva promissora.

Ações especiais vão garantir o acesso de jovens em situação de risco social, em cumprimento de medida socioeducativas ou apenados, além de populações indígenas e quilombolas e egressos do Programa Tudo Pela Alfabetização (Topa).

O Secretário Nacional de Juventude, Beto Cury, ressaltou a importância do Trilha como instrumento de política social protagonizado pela juventude. “Este projeto vai assegurar direitos e oportunidades aos jovens e instituir uma cultura juvenil. Minha geração lutava por liberdade, e esta por esses direitos e inclusão”, disse.

O Trilha trabalha em três linhas de ações fundamentais: elevação da escolaridade, qualificação profissional e inserção no mercado de trabalho, que é justamente o diferencial dos demais programas já existentes. Para garantir a efetivação do jovem no disputado mercado, o Governo do Estado vai funcionar como um negociador junto às empresas privadas para captar vagas para os jovens cadastrados no programa.

As ações contam ainda com microcréditos para os pequenos empreendedores e iniciativas que estimulem as associações e sindicatos vinculados aos futuros trabalhadores. Somente os inscritos nos cursos de qualificação profissional (que terá duração média de um ano e meio) vão receber uma ajuda de custo, bolsas que variam de R$100 a R$120. Os cursos de elevação da escolaridade vão durar de quatro a seis meses.

As inscrições para o Programa terão início em novembro se estendendo até dezembro deste ano. A efetivação do Trilha acontece em fevereiro de 2009. Inicialmente serão oferecidas 20.200 vagas.

Durante a solenidade de lançamento do Programa Trilha, que teve apresentação de dança folclórica, espetáculo da Escola de Dança da Fundação Cultural e cantor de rap, o governador Jaques Wagner também assinou o decreto para criação do Conselho Estadual da Juventude, da Coordenação estadual da Juventude e o Plano Estadual de Juventude. Este último é um conjunto de metas que vão nortear as ações do Estado (no segmento juvenil) para os próximos 10 anos.

“Hoje estamos dando passos significativos para a construção da política estadual juvenil”, declarou o coordenador da Juventude da Secretaria de Relações Institucionais, Éden Valadares.

A concretização das ações de hoje é fruto de uma Conferência Estadual da Juventude, convocada pelo Governo do Estado em setembro do ano passado. Foram realizadas mais de 50 conferências municipais, 26 etapas territoriais e uma grande conferência em Salvador. Nesse processo de mobilização participaram mais de 50 mil jovens. A Conferência da Bahia foi a maior do Brasil.

O Conselho Estadual da Juventude formado por 30 membros, em sua maioria da sociedade civil organizada, terá caráter consultivo. Vinculado à secretaria de Relações Institucionais, terá dentre outras funções, propor estratégias de acompanhamento e avaliação da Política Estadual de Juventude, apresentar políticas públicas para o segmento juvenil e promover a realização de estudos, debates e pesquisas sobre a realidade da juventude baiana.

www.portalplural.com
Quarta, 22.10.2008, 10:42am (GMT-3)

3 comentários:

  1. A onde eu posso min escrever.

    ResponderExcluir
  2. a onde eu posso min escrever

    ResponderExcluir
  3. to gostando de ver os jovens fora do crime e se apendedo alguma coisa

    ResponderExcluir