quarta-feira, 6 de agosto de 2008

CARTILHAS DE ALFABETIZAÇÃO

ORIGEM DAS CARTILHAS DE ALFABETIZAÇÃO
UTILIZADAS NAS ESCOLAS BAIANAS

As cartilhas eram constituídas da apresentação do alfabeto em grupos de letras para a formação de sílabas e de textos religiosos escritos em português e latim. No início do século XIX no Brasil, os manuais usados para ensinar a ler e escrever eram importados de Portugal, pois até o ano de 1808, não era permitida a publicação de livros nacionais.
A primeira lei brasileira sobre a escola primária é datada de 1827 e não mencionava nem o método nem o manual escolar a serem utilizados, mas determinava que o livro de leitura fosse a Constituição Brasileira e os livros de história do Brasil.

Os professores confeccionavam o seu próprio material para alfabetizar e usavam também cartilhas portuguesas como: O expositor português e a Cartilha Maternal, tendo sido esta última produzida pelo poeta português João de Deus. Os materiais produzidos pelos professores foram denominados Cartas do ABC, que traziam o alfabeto escrito de várias formas, valorizando a grafia. O método que se concretizava através desta cartilha era o método alfabético, o qual toma como unidade de análise o nome de cada letra. Nesse método, era utilizado o processo de soletração para decifrar a palavra.

Em 1856, sob a administração do Presidente Provincial João Lins Viana Cansanção, Visconde de Simimbau, o baiano Abílio César Borges troca a carreira de médico pela de professor. O Barão de Macaúbas tornou-se um ícone na educação da Bahia e do Brasil, empenhou-se em vasta obra educacional. Até 1868, a aprendizagem de leitura se iniciava com os abecedários manuscritos, papeis de cartórios e toscas cartilhas, com o lançamento em série de livros para leitura denominados primeiro, segundo e terceiro livros de leitura. Essa metodologia era conhecida como métodos de Abílio, e ajuda a alavancar a pedagogia no Brasil.
Em 1855, o português Antonio de Castilho veio ao Brasil divulgar seu "Método" de alfabetização obra bastante apropriada para as escolas como para uso das famílias. Já o método de alfabetização de João de Deus foi introduzido a princípio na Escola Normal de São Paulo em 1883, pelo professor Antonio da Silva Jardim e, em 1897, o governo paulista importou vários exemplares da Cartilha Maternal de João de Deus para distribuir nas escolas do Estado, o que conseqüentemente influenciou a Província baiana.

De autoria anônima, a 1ª. edição das "cartas de ABC" é de 1905. Há, entretanto, indícios de que essa publicação é a introdução do Livro da Infância de Augusto Emílio Zaluar, escritor português radicado no Rio de Janeiro. As "cartas de ABC" representam o método mais tradicional e antigo de alfabetização, conhecido como "método sintético": apresenta primeiro as letras do alfabeto (maiúsculas e minúsculas; de imprensa e manuscritas), depois apresenta segmentos de um, dois e três caracteres, em ordem alfabética a-é-i-ó-u, ba-bé-bi-bó-bu, ai-ei-oi-ui, bai-bei-boi-bui, etc e, por fim, palavras cujas sílabas são separadas por hífen An-tão, A-na, An-dei, A-mar; Ben-to, Bri-tes, Bus-car, Ba-ter, etc. Esse livro foi utilizado pelas escolas até 1956, data da 107ª. edição, o que demonstra a grande utilização desse modelo antigo de alfabetização. Em 1909, surge A Cartilha Analítica, cujo o método alfabetizava com palavras e sílabas e se opunha ao antigo sintético, que ensinava as letras, o bê-a-bá.

Para conciliar os dois métodos de alfabetização, o moderno e o antigo, foi criada a Nova Cartilha. De acordo com os registros da editora Melhoramentos, foram produzidos 825.000 exemplares desde a primeira edição, de 1916, até a última, a 185ª. edição de 1955.

Publicada pela primeira vez em 1917, a Cartilha de Ensino Rápido de Leitura fez um sucesso extraordinário, atingiu 2.230 edições em 1936 e mais de seis milhões de exemplares vendidos. Dados da editora Melhoramentos indicam que, até 1941, ela já havia vendido mais de um milhão de exemplares, mantendo a média de tiragem por ano acima dos 100.000 exemplares até 1969. A partir de 1970, a produção caiu drasticamente para 40.000 exemplares e chegou, em 1976, com a tiragem de 1000 exemplares.

1ª. Edição da a Cartilha Sodré foi publicada em 1940. A partir da 46ª. edição, em 1948, passou a ser publicada pela Companhia Editora Nacional. Conforme dados da editora, de 1948 até 1989, data da última edição, a 273ª., foram produzidos 6.060.351 exemplares. Em 1977, ela foi remodelada por Isis Sodré Verganini. Além da alteração no formato da cartilha, foram acrescentadas mais de 30 páginas.

A cartilha Caminho Suave, cuja 1ª. edição é de 1948, parece ter sido um fenômeno de vendas no Brasil, calcula-se que todas edições, venderam 40 milhões de exemplares até a década de 1980, quando deixou de ser usada nas escolas brasileiras.

Lançada na década de 60 e reeditada em 1987, a cartilha Casinha Feliz foi o marco do método fônico no Brasil, o qual enfatizava a menor unidade da fala, o fonema, e sua representação na escrita. Ensinava-se primeiro as formas e os sons das vogais, para depois ensinar as consoantes e vogais, estabelecendo entre elas, relações cada vez mais complexas. Educadores passaram a trabalhar com textos diversificados nos diferentes suportes que circulavam na sociedade como livros, jornais, revistas, embalagens, bulas, entre outros.

27 comentários:

  1. Voltei no tempo, aprendi a ler pelo método da Casinha Feliz, ao ver a imagem eu vi meu livro.

    ResponderExcluir
  2. Que legal!!! Eu aprendi a ler com o metodo casinha feliz e há 21 anos depois ainda lembro das musiquinhas!!!!

    ResponderExcluir
  3. Não sou contra as cartilhas para a alfabetização, pois foram elas que me ajudaram a aprender a ler.
    Professora Célia

    ResponderExcluir
  4. Fui alfabetizada com o método da casinha feliz e queria saber como faço para conseguir a cartilha, pois minha filha está começando a ser alfabetizada. silviaomiranda@hotmail.com

    ResponderExcluir
  5. Sou professora de alfabetização gostaria de saber como posso adquirir a cartilha " A Casinha Feliz ". yolandacasara@hotmail.com

    ResponderExcluir
  6. Como poderei adquirir a cartilha "A Casinha Feliz".
    Olga Marinho
    molga01@hotmail.com

    ResponderExcluir
  7. Gostaria de adquirir a cartilha "A Casinha Feliz".
    Françoise Verônica
    veronicafagundes2009@hotmail.com

    ResponderExcluir
  8. Gostaria de obter a cartilha "A Casinha Feliz".
    Verônica
    veronicafagundes2009@hotmail.com

    ResponderExcluir
  9. Oi pessoal, que legal este site do estado da Bahia a educação sempre foi muito a frente do tempo.
    Gostaria de saber como faço para comprar a cartilha Casinha Feliz.
    Estou desenvolvendo um projeto aqui no interior do Maranhão e ela me seria muito útil.
    contactem-me: franca.joana@hotmail.com

    ResponderExcluir
  10. Gostaria de saber como adquirir o material da Casinha Feliz

    ResponderExcluir
  11. Como faço para adquirir o material Casinha Feliz?

    ResponderExcluir
  12. Poxa, voltei no tempo...me emociono ao lembrar q eu comecei a ler e escrever com ajuda da casinha feliz...vcs sabem onde posso encontar a cartilha casinha feliz?

    ResponderExcluir
  13. tbem gostaria de adiquirir a cartilha "A CASINHA FELIZ"
    Kelem
    kelemd@terra.com.br

    ResponderExcluir
  14. Edgard Alberto de Vasconcellos
    (03/10/2009)

    Gostaria de adquirir a cartilha "Sodré".
    Como faço?

    vasconcellos56@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  15. Estou à procura de material do método fônico.

    ResponderExcluir
  16. gostaria de adquirir todo o método e a historia da casinha feliz meu Email é cinara230289@ Hotmail.com e gostaria o email da autora do metodo

    ResponderExcluir
  17. por favor eu gostaria de adquirir se for possivel o email da autora da casinha feliz e saber com eu tenho acesso as cartilhas.

    ResponderExcluir
  18. como aduir esse metodo

    ResponderExcluir
  19. Fui alfabetizada com essa cartilha.
    Amava, era tudo muito encantador.
    Gostaria de saber como adquirir a cartilha "A Casinha Feliz".
    isabellacaua@hotmail.com

    ResponderExcluir
  20. Sou professora e gostaria muito de adquirir a cartilha "A casinha Feliz". Fernanda .
    phernanda2000@yahoo.com.br

    ResponderExcluir
  21. Muito bom, Apredi a ler com a cartilha CAMINHO SUAVE e atualmente me preocupo com a educaçao se naquela epoca era precaria hoje com todos os recursos. So por DEUS!

    http://sergio30081959.blogspot.com/

    ResponderExcluir
  22. Gostaria de saber em que ano foi editada a cartilha LER E SABER essa cartilha meu pai usou para se alfabetizar, ela continha pricipios de respeito e educação que se aprende em casa

    ResponderExcluir
  23. Como posso adquirir a Cartilha Casinha Feliz?
    Milla

    ResponderExcluir
  24. Gostaria de adquirir a cartilha A CASINHA FELIZ.Vanuza de oliveira . vanuzamendesdeoliveira@hotmail.com 1 DE AGOSTO DE 2011 19:30

    ResponderExcluir
  25. Minha mãe estudou numa cartilha chamada "Cartilha do Povo" quando tinha 14 anos (em 1963). Será que ainda encontro este material? Meu email é natossauro@hotmail.com. Obrigado

    ResponderExcluir
  26. estou a procura da cartilha A Casinha Feliz e como aplicar esse metodo em minha sala de aula. Quero adquirir o material completo mas nao sei como conseguir. Se voce sabe como posso fazer isso comunique-se comigo,por favor.

    ResponderExcluir
  27. FUI ALFABETIZADA COM A CARTILHA CAMINHO SUAVE, AMO LER! SOU PROFESSORA DE PRIMEIRO ANO , ADORO ENSINAR A LER !
    ELIETE

    ResponderExcluir